Rally Bahia
 
veículo informativo independente sobre o esporte clube bahia.
Blog do Santana

// colunistas

<< voltar

Dor no joelho: qual a causa? Como tratar?
23/8/2010

Dr. Fábio Costa



Nos dias de hoje, uma das principais queixas do ambulatório de ortopedia são as dores no joelho. É comum vermos um paciente referindo que seu joelho estala, sai do lugar ou simplesmente que este dói.

As dores são devido a vários fatores, tanto internos, como externos. Os internos são aquelas causas de origem anatômica (genética) ou adquirida. Ou seja: são pessoas que tem os joelhos valgos (em X), pé plano (pé chato), pacientes com lesões tal como a lesão do menisco, condromalácea (amolecimento da cartilagem) ou um estado degenerativo da articulação que é a artrose (pacientes mais velhos e obesos). Já as causas externas acometem principalmente aqueles pacientes, principalmente “atletas”, que por falta de orientação, praticam suas atividades esportivas de forma inadequada ou usando o equipamento inadequado. É muito comum encontrarmos nas academias de ginásticas pessoas usando tênis caríssimos e que de fato não são indicados para o tipo de pé ou pisada que a pessoas tem. Uma simples avaliação médica especializada pode evitar uma futura lesão.

Outra queixa comum são os “estalidos” no joelho, estes na maioria das vezes não são uma patologia, mas sim uma característica momentânea de alguns joelhos. Quando esses estalidos passam a ser dolorosos, isso sim é um sinal de alerta. Por isso esteja sempre alerta aos sinais que seu corpo dá. A dor é a manifestação de que algo não anda bem neste local.

Vemos ainda pacientes que referem que o joelho “sai do lugar”. Esta queixa deixa sempre o ortopedista preocupado, pois muitas vezes pode representar uma lesão ligamentar ou meniscal. Estes meniscos que temos são duas cunhas cartilaginosas que tem como principal função absorver os impactos no joelho. Imaginem a carga que o osso da coxa exerce sobre o osso da perna, daí a necessidade de termos estes espaçadores entre eles. Uma vez danificados, eles funcionam como amortecedores de um carro quando estão quebrados.

No carro temos a facilidade de poder trocar os amortecedores, já no joelho essa prática ainda está em fase de estudo e no Brasil ainda estamos engatinhando para a troca de meniscos (transplante). Assim, a opção que nos resta é o reparo dos meniscos através de cirurgias. Hoje as cirurgias tanto de meniscos como de ligamentos evoluíram muito e são feita por via artroscópica, ou seja, uma micro-câmera que penetra o joelho, o filma por dentro, permitindo que o cirurgião repare o dano. O atleta normalmente está apto a retomar suas atividades esportivas em 01 mês a 45 dias. Já a lesão ligamentar é uma patologia um pouco mais grave, cuja cirurgia demanda uso de enxertos (retirados da própria coxa) e um tempo de reabilitação maior, variando de 06 a 08 meses. Para fazer um paralelo com o nosso tricolor de aço temos hoje em campo vários atletas que foram operados por nossa equipe (Alison de lesão ligamentar, Marcone de lesão de menisco).

De todos esses fatores, um que muito preocupa é a obesidade, uma vez que esta não só traz problemas ortopédicos como também sistêmicos e até sociais. Como dito acima, a artrose é uma das principais patologias que acompanha a obesidade. O sobrepeso faz com que a cartilagem, que nada mais é que uma superfície lisa que serve para cobrir a extremidade do osso (que é rugosa), sofra um desgaste. Este desgaste, por sua vez, leva à exposição de uma camada do osso (rugosa), que é inervada e causa dores intensas. Uma vez gasta, essa cartilagem passa a não mais absorver os impactos, não produz de forma eficiente o líquido que lubrifica a articulação (líquido sinovial), terminando com a total destruição da articulação.

Pessoas acima do peso que querem se beneficiar da prática esportiva como coadjuvante na perda de peso, passam por um grande dilema, pois muitas vezes apresentam dor no joelho e isso as incapacita de fazer uma atividade esportiva. A solução nesses casos é a adequação da atividade: tênis apropriado, esporte de menos impacto, uso de medicações antiinflamatórias, proteções articulares.

Na verdade, o joelho é uma articulação que sofre muitas agressões no seu dia-a-dia, pois ela sustenta todo o peso do corpo e funciona como um amortecedor biológico que nós temos. Cuidar do joelho é uma necessidade para aquele que pretendem ter uma velhice com qualidade de vida. Antigamente existiam pessoas que atingiam a “terceira idade”, hoje temos na verdade pessoas atingindo a “melhor idade”. A falta de cuidado para com o joelho é a principal causa de patologias. É fundamental que se pare de procurar o médico só com fins curativos, pois muitas vezes já não se tem o que fazer por uma articulação danificada. O grande segredo do sucesso está em PREVENIR.

Dr. Fabio Costa CREMEB 15998 TEOT 8421 e-mail: fabiocosta123@uol.com.br
Médico Ortopedista pela Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia (SBOT)
Especialização pela U.S.P. em Cirurgia Video-Artroscópica e Cirurgia do Joelho
Pós Graduação em Traumatologia Desportiva pelo C.E.G.O.N. do HCFMUSP
Titular da Soc. Latinoamericana de Artroscopia, Rodilla e Desporto (SLARD)
Titulo de Especialista pela Soc. Bras. de Traumatologia Desportiva (SBTD)
Titulo de Especialista pela Sociedade Brasileira de Artroscopia (SBA)
Chefe do Grupo de Joelho e Traumatologia Desportiva do INSBOT
Coordenador de Ortopedia da Clinica São Bernardo
Médico Coordenador do Esporte Clube BAHIA
www.insbot.com.br
www.doutorfabiocosta.wordpress.com.br


Dr. Fábio Costa, 40 anos, é médico ortopedista.

< Voltar



Tricolor no Mundo

Hemmel Lima - Sydney, Austrália Hemmel Lima - Sydney, Austrália
ecbahia.com  /   PLANTÃO   /  BAIANO 2014  /  COLUNAS  /  FÓRUM  /  RSS
veículo informativo independente sobre o esporte clube bahia.
ecbahia.com 1997-2013 / Licença Creative Commons - Alguns Direitos Reservados -
design by: