Rally Bahia
 
veículo informativo independente sobre o esporte clube bahia.
Fórum ecbahia.com

// colunistas

<< voltar

Kinesio Taping, as fitas coloridas da pele
2/2/2012

Dr. Fábio Costa



E essas fitas grudadas no corpo dos atletas, para quê servem? Esse negócio funciona mesmo? Ou é só moda?

Bom, em um evento do glorioso tricolor, um grande repórter futebolístico me pediu que escrevesse a respeito dessas fitas que estão sendo usada por atletas.

Conhecida no meio fisioterapêutico como Kinesio Tape, ou bandagem terapêutica, essa técnica na verdade não é nova, foi criada há mais de trinta anos por Kenso Kase, em Tókio, no Japão. Desenvolvida através da hipótese de que os músculos e outros tecidos poderiam ser influenciados por um contato externo. Apesar de antiga, a técnica teve seu “boom” na última olimpíada, quando vários atletas apareceram usando estas bandagens.

A primeira coisa a explicar é que essa fita não tem nada de medicamentoso, ou seja, não vem impregnada com nenhuma substância analgésica. Falo isso pois muitos me perguntam o que tem nela. São fitas elásticas adesivas hipoalergênicas, feitas de material poroso e que não tem função de imobilização. Eles têm a espessura semelhante a da pele, podem expandir até 130% do seu tamanho e só crescem em um sentido: longitudinal.

E como ela age? Ela atua na propriocepção, fazendo estímulos elásticos na pele que são transmitidos a camadas mais profundas. A Kinesio Taping mantém a comunicação com tecidos mais profundos através de mecanorreceptores encontrados na derme e epiderme.

A bandagem é aplicada com diversos objetivos:

• Diminuição da dor e da sensação de desconforto

• Promover suporte durante a contração muscular

• Diminuir a congestão do fluxo linfático

• Diminuir o extravasamento sanguíneo para o subcutâneo

• Ajudar na correção de desvios articulares

• Promove auxilio na contração muscular

• Aumenta a propriocepção

Um dos grandes estudiosos e admiradores desta técnica, o Dr. Hélcio Figueiredo, fisioterapeuta carioca da Total 1, tem demonstrado resultados animadores com o uso desta opção terapêutica. Claro que, como todo tratamento, ele precisa e deve ser feito por um profissional habilitado, neste caso os mais indicados são os fisioterapeutas. Sempre que falo em fisioterapeutas costumo citar Dr. Pedro Paulo Guimarães, Dr. Arivan Gomes e Dra. Mariana Marques, pois com esses tenho contato quase que diários e sempre estamos trocando informações. Apesar de que em relação a Kinesio Taping eles não me falam muito, pois tem medo de que eu aprenda. Sem dúvida e fazendo justiça, o grupo de fisioterapeutas do E.C. Bahia, Dr. André, Dr. Diogo e Dr. Neto, são outros craques desta arte.

Vale ressaltar que este tratamento, seja ele preventivo ou curativo, também não é algo “milagroso”, tem suas limitações, mas é mais uma ferramenta que temos no meio desportivo. A ação placebo, que é aquela em que na verdade não se faz nada e se obtém resultado, também existe, e essa eu tive uma prova maravilhosa nos últimos dias. Um grande amigo e paciente (que só citarei o apelido: Nando) me falou que taping era tão bom que ele já estava fazendo nele mesmo e jogando tênis sem dor. Claro que esse meu querido amigo, paciente e companheiro de esporte, está sendo agraciado pelo efeito placebo, mas o que vale é que ele tem jogado “forte”.

Brincadeiras a parte, existe uma técnica específica para a colocação dessas fitas e que podem variar não só com a articulação como também com o objetivo a ser atingido. Por exemplo: se aplico ela no sentido da origem para inserção do músculo, dou mais suporte muscular e ajudo na contração; já se aplico da inserção para origem, ajuda a relaxar a musculatura e melhorando lesões musculares. Além disso, podem ser aplicadas em “Y”, em “I”, em ‘X”, em teia de aranha, conforme aparece nas fotos.

Tudo que melhora a performance, acelera retorno a prática esportiva e não prejudica, vejo com bons olhos para o esporte. Seja pela ação clínica ou placebo, essa técnica tem conseguidos grandes adeptos e sempre que possível continuarei indicando, lembrado mais uma vez que não é milagre, mas mais uma ferramenta terapêutica.

Dr. Fabio Costa CREMEB 15998 TEOT 8421
Médico Ortopedista, Especialista pela USP em Joelho,
Cirurgia Artroscópica e Traumatologia Esportiva
Coordenador Médico do Esporte Clube BAHIA
www.traumatologiaesportiva.com.br
fabiocosta123@uol.com.br


Dr. Fábio Costa, 40 anos, é médico ortopedista.

< Voltar



Tricolor no Mundo

Felipe Caldas - Dharamsala, Í... Felipe Caldas - Dharamsala, Índia
ecbahia.com  /   PLANTÃO   /  BAIANO 2014  /  COLUNAS  /  FÓRUM  /  RSS
veículo informativo independente sobre o esporte clube bahia.
ecbahia.com 1997-2013 / Licença Creative Commons - Alguns Direitos Reservados -
design by: