é goleada tricolor na internet

veículo informativo independente sobre o esporte clube bahia

Notícia | Entrevista

Publicada em 29 de abril de 2018 às 19h20

Auxiliar, Faganello destaca superioridade do Bahia apesar de empate

Alexandre Faganello, auxiliar técnico de Guto, comandou a equipe neste domingo e analisou o jogo

Victor de Freitas

2016-10-30-18-11_CapaAlexandreFaganellojogo
Fonte: Felipe Oliveira/Divulgação/ECBahia

O Bahia disputou seu terceiro jogo no Brasileirão 2018, neste domingo (29), e ficou no empate em 0 a 0. Após o jogo, o auxiliar técnico Alexandre Faganello foi quem concedeu a tradicional entrevista coletiva.

Devido à expulsão do treinador Guto Ferreira na partida contra o Santos, coube a Faganello a missão de dirigir o Bahia na partida contra o Atlético-PR. Em sua análise sobre o jogo, o auxiliar técnico destacou a superioridade demonstrada pelo Esquadrão durante os 90 minutos e viu como injusto o resultado.

"Dentro da proposta que a gente se propôs a fazer, acho que conseguimos fazer. Fomos melhores do início ao fim. Claro que 90 minutos, enfrentando o Atlético-PR, que tem sua qualidade, a gente ia sofrer um ou outro ataque. Nossa equipe pressionou do início ao fim, dificultou a saída de bola deles, roubamos bola na frente da área, poderíamos ter um pouco mais de calma para ter criado situações de gol. Fiquei satisfeito, conversei com Guto, está muito satisfeito, faltou o principal. Que foi o gol. Segundo tempo a gente continuou com a mesma proposta de jogo. Criamos várias situações, tivemos 21, 22 finalizações (na verdade, foram 23), contra 9 deles. Isso mostra o que foi o jogo. Fomos superior do início ao fim", disse o auxiliar.

Faganello também citou estar vendo o Bahia viver um momento de crescimento dentro da temporada e em um processo positivo de adaptação ao nível mais alto do Brasileirão, após iniciar a partida com partidas de baixa intensidade no Baiano.

"Acho que o Bahia vem numa crescente, se adaptando ao Campeonato Brasileiro, que é um nível muito maior, não desmerecendo as outras competições. O time vem evoluindo. Não tenho dúvida que essa partida que a gente fez contra o Atlético-PR, vai na sequência ter muita força e pegar como exemplo essa partida e a partida contra o Santos para conquistar os triunfos no Brasileiro. Tem que evoluir a cada momento, a cada jogo. Esse foi mais um que a gente superou. Na minha visão foi o melhor jogo que a gente fez. Tem que pegar isso aí e levar para os outros jogos. Fora também a gene tem que ter esse mesmo padrão, ter a personalidade que jogou aqui. Só assim a gente vai almejar", falou.

Sabendo do estilo de jogo pautado na troca de passes do Atlético-PR, Guto e sua comissão técnica trabalharam situações para conter o trabalho de saída de jogo do time atleticano. Faganello disse ter ficado satisfeito com o desempenho do time neste quesito.

"Pegamos uma equipe que a gente sabia que ia sair jogando, que não ia dar chutão. Durante a semana, depois do jogo com o Botafogo-PB, a gente fez um treino mostrando como queria que fizesse. Adiantamos a marcação e tivemos êxito. Foi isso que aconteceu. Subimos os dois do meio, a zaga, os laterais para que eles não tivessem espaço de nos envolver e nos encurralar. Foi isso o que aconteceu. Os jogadores estão de parabéns. Faltou o gol, o maior detalhe da partida, que nos daria a vitória".

Mudanças feitas durante o jogo:

"Não deixaram cair o padrão da equipe. Continuou com o mesmo volume de jogo. Edigar vinha de uma sequência, Brumado bem entrando bem. Entrou e correspondeu. Logico que todo mundo espera do Brumado um gol por jogo, mas a gente sabe que não é assim. A entrada do Régis no lugar de Vinícius também pela mesma situação. A gente precisava de um gás novo para romper a última linha do Atlético-PR".

Chances perdidas:

"O Atlético-PR fez um jogo muito bom contra o Grêmio, com um a menos, segurou o Grêmio na Arena. Nossa proposta de jogo, com jogadores de qualidade, a gente sabia que se a proposta de jogo fosse colocada em prática como foi, a gente tinha grande chance de sair com a vitória. A gente pecou nas finalizações. Vamos trabalhar para que nos próximos jogos apareçam as oportunidades, e a gente faça o gol. Não pode só jogar bem. Tem que colocar, pelo menos, uma no gol para sair com a vitória. Isso que a gente busca a todo momento".

Desgaste físico:

“O desgaste físico foi normal no final da partida. Nosso time marcou forte demais desde o início, tirando espaço deles, e sabíamos que em algum momento teria a questão do cansaço. Nossas mudanças, inclusive, foram para manter o padrão técnico e físico”.

Jogadores serão poupados contra o Botafogo-PB?

"A gente vai ter que avaliar os jogadores amanhã. As condições para que Guto possa montar a equipe da melhor maneira possível. Eu falar quem a gente vai ter à disposição é impossível. A gente vem de uma sequência muito grande de jogos. É esperar ver como esses jogadores vão se reapresentar para pensar no jogo de quinta-feira".

leia também
comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do ecbahia.com. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral, os bons costumes ou direitos de terceiros. O ecbahia.com poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.