é goleada tricolor na internet

veículo informativo independente sobre o esporte clube bahia

Notícia | Política

Publicada em 26 de dezembro de 2016 às 19h52

Bahia confirma acordo para ficar com Fazendão e Cidade Tricolor

Tricolor anunciou acordo com a OAS e a Planner para ficar com os dois CTs

Victor de Freitas

2016-12-21-09-40_CapaCidadetricolor1
Fonte: ChiquitinhaMaravilha.com

Na tarde desta segunda-feira (26), o Bahia anunciou o que a torcida tricolor aguardava há um longo período. O clube confirmou ter chegado em acordo para adquirir o CT Cidade Tricolor em definitivo, além da recuperação da prioridade do CT Fazendão e da compra de um terreno vizinho, no bairro do Jardim das Margaridas.

Em nota oficial divulgada no site do clube, o Bahia confirma e explica o acordo feito com a OAS e com a operadora financeira Planner - e três bancos não divulgados - e a cifras envolvidas na negociação.

Confira na íntegra o texto oficial divulgado pelo Esquadrão:

O Esporte Clube Bahia comunica à torcida e aos sócios que chegou ao entendimento com a OAS e com a Planner, referente aos centros de treinamentos Osório Villas Boas (Fazendão) e a Cidade Tricolor.

Na tarde desta segunda-feira (26), no Fazendão, foi assinado um acordo extrajudicial que define a recuperação da propriedade do CT Osório Villas Boas (Fazendão), a compra de um terreno no bairro Jardim das Margaridas, vizinho ao Fazendão, além da aquisição definitiva da Cidade Tricolor, localizada entre os municípios de Camaçari e Dias D’ávila, restabelecendo e ampliando o patrimônio do clube.

A assinatura deste acordo é parte importante neste processo, contudo, para que o trâmite seja considerado concluído, é necessário uma autorização do juiz responsável pela recuperação judicial da OAS, assim como a homologação na vara na qual tramita a ação movida pelo Bahia, ano passado, contra OAS e a Planner.

A recuperação da propriedade do Fazendão se fez necessária em virtude de, no ano de 2013, antes da intervenção judicial, a então diretoria do Bahia tê-la transferido para a OAS, que, posteriormente, a usou como garantia em operações financeiras com a Planner.

Para restabelecer o seu patrimônio, em contrapartida, o Esporte Clube Bahia pagará em juízo à Planner o valor de R$6.486.505,00 (Seis milhões, quatrocentos e oitenta e seis mil e quinhentos e cinco reais), valor já previsto no orçamento de 2017 e aprovado pelo Conselho Deliberativo, além de ceder 11.052,93 m² em Transcons, título do mercado imobiliário proveniente da desapropriação da antiga sede de praia do clube.

O Esporte Clube Bahia também ficará responsável pelo pagamento dos impostos em atraso dos imoveis e das respectivas despesas de transferências para o nome da agremiação.

leia também
comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do ecbahia.com. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral, os bons costumes ou direitos de terceiros. O ecbahia.com poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.