ecbahia.com

é goleada tricolor na internet

veículo informativo independente sobre o esporte clube bahia

Notícia | Brasileiro

Publicada em 29 de abril de 2018 às 17h56

Bahia cria chances, mas fica no 0 a 0 com o Atlético-PR

Esquadrão finalizou 23 vezes, mas não conseguiu balançar as redes

Victor de Freitas

2018-04-29-17-43_capabahiaxatleticopr2018
Fonte: Felipe Oliveira/Divulgação/ECBahia

Na tarde deste domingo, o Bahia recebeu a visita do Atlético-PR, pela terceira rodada do Brasileirão, e ficou em um empate por 0 a 0.

O JOGO

Em boa fase após dois triunfos consecutivos na última semana, o Bahia demonstrou uma postura ofensiva no primeiro tempo e dominou as ações dos 45 minutos. Mesmo com menor posse de bola (35%), foram dez finalizações antes do intervalo, contra apenas três do adversário.

A maior parte das chances criadas na primeira etapa foram criadas em chutes de fora da área, que começaram a acontecer aos quatro minutos, em finalização forte feita por Vinícius. Aos sete, foi a vez de Nino assusta o goleiro Santos com um chute de de longe área.

Enquanto o Atlético-PR apostava em seu estilo de jogo focado em passes curtos, Gustavo Ferreira apostou em linhas altas no ataque, pressionando a defesa atleticana na saída de bola. E a pressão funcionou por vezes na primeira etapa.

Aos 16 minutos, Paulo André saiu tocando errado no campo de defesa, Vinícius recuperou a bola e deu passe para Élber, que chutou forte e obrigou o goleiro Santos a fazer grande defesa. Em resposta, o CAP fez o goleiro Douglas trabalhar também em um chute de fora da área, aos 18 minutos.

Em nova roubada de bola no campo de ataque, Zé Rafael tomou a bola do volante Matheus Rossetto e chutou de fora da área. A bola acertou a trave atleticana.

SEGUNDO TEMPO

No segundo tempo, as equipes mantiveram as posturas ofensivas, com o Bahia seguindo com um maior volume de finalizações ao gol adversário. Aos dois minutos, Élber avançou em velocidade pelo lado esquerdo e chutou, mas parou em mais uma intervenção de Santos.

Aos seis minutos, o CAP criou sua primeira grande chance da partida. Após jogada veloz do time atleticano, Guilherme recebeu passe na grande área e chutou rasteiro, no canto direito de Douglas. Zé Rafael estava em cima da linha tirou o que certamente seria um gol.

Já aos dez minutos, o goleiro Santos realizou duas defesas milagrosas para evitar o que seria o primeiro gol do Esquadrão. Zé Rafael avançou pela esquerda e cruzou rasteiro. Edigar Junio chutou e o arqueiro atleticano espalmou. No rebote, Élber parou em mais uma defesa.

A exemplo do jogo da última quinta-feira, Guto tentou exercer mais uma vez o "fato novo" na partida, mandando a campo Júnior Brumado e Régis, nas vagas de Vinícius e Edigar Junio, respectivamente.

Com Brumado em campo, o Esquadrão ganhou referência dentro da grande área, mas também um ataque com mais gás buscando se mover fora da área. O centroavante arriscou chutes de longa distância e quase marcou um golaço aos 39 minutos, em uma tentativa de encobrir o goleiro adversário.

Já o Atlético-PR chegou mais uam vez com perigo em uma cobrança de falta feita por Thiago Carleto, que acertou o travessão e em chute de Nikão, que passou raspando o travessão tricolor.

Sem conseguir furar o goleiro adversário, o Bahia fechou a partida com 23 finalizações, contra nove do adversário.

leia também
comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do ecbahia.com. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral, os bons costumes ou direitos de terceiros. O ecbahia.com poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.