é goleada tricolor na internet

veículo informativo independente sobre o esporte clube bahia

Notícia | Política

Publicada em 27 de setembro de 2017 às 10h45

Entenda os custos que o Bahia deve ter com a Cidade Tricolor

Clube se prepara para iniciar reformas no novo CT

Victor de Freitas

2017-09-27-10-26_capacidadetricolor3
Fonte: Felipe Oliveira/Divulgação/ECBahia

O centro de treinamento Cidade Tricolor, finalmente, é de fato do Bahia. O Clube recebeu o termo de posse, nesta última terça-feira (26), após longo processo de negociação com a OAS e a financeira Planner.

Com o assunto da possse resolvido, a direção agora pensa no próximo passo: reformar o CT e definir a logística para uma possível mudança para a nova casa.

Somente com o Fazendão, os custos que o Bahia vinha tendo para arcar com as despesas de operação do CT são bastante inferior aos valores que serão gastos nos investimentos com seu novo centro de treinamentos. Os gastos mensais do Bahia com o Fazendão são de R$ 250 mil, o que dá um total anual de R$ 3 milhões.

Em entrevista recente, o diretor de administrativo do Bahia, Marcelo Barros, explicou os custos que o Clube deve ter parar pôr a Cidade Tricolor em estado ideal de uso.

"Para colocar a Cidade funcionando com tudo o que a gente gostaria, eu acho que a gente gastaria uns R$ 4 milhões. Mas, se for fazer a reforma da estrutura e dos campos para funcionar, acho que gastaria R$ 1,2 milhão. Isso tudo é estimativa", disse o dirigente, no mês de agosto.

Mas, certo mesmo é que no orçamento aprovado pelo Conselho Delibarativo, neste ano, há R$ 2 milhões destinados a gastos com reformas no novo CT. Vale lembrar que, não se pode confundir o dinheiro separado para o futebol, com o dinheiro destinado a gastos com patrimônio do Clube. 

Além dos valores que serão investidos para reforma o local, que tem sua estrutura bastante defasada após quatro anos de abandono, deve-se ter em conta os custos mensais operacionais da Cidade, que se trata da manutenção adequada do equipamento.

A estimativa é de que os custos por mês com a Cidade girem em torno de R$ 581 mil, o que daria um valor anual de R$ 6,972 milhões.

Quanto custaria para manter os dois CT's ativos?

Com os R$ 3 milhões já gastos atualmente no Fazendão, somados com os prováveis R$ 7 milhões que deverão ser gastos com a manutenção da Cidade Tricolor, o Bahia precisaria arcar com, pelo menos, R$ 10 milhões por ano, apenas com estes dois equipamentos.

Ou seja, para manter a Cidade e o Fazendão, por mês, o custo seria de cerca de R$ 833 mil.

E se vender um dos dois?

O Bahia também trabalha com a hipótese de manter apenas um dos centros. Em entrevista após a assinatura do Clube como novo propriatário da Cidade Tricolor, o presidente Marcelo Sant'Ana admitiu que ainda não há nenhuma definição sobre o que será feito a respeito do Fazendão.

Já segundo Marcelo Barros, em sua entrevista há um mês, a preferência em uma possível venda de um dos dois equipamentos seria de vender o Fazendão, por contar com uma estrutura bastante inferior àquela construída em Dias d'Ávila. De acordo com Barros, o CT localizado no bairro de Itinga tem valor de mercado estimado em R$ 20 milhões.

Relembre fotos de como a Cidade Tricolor era no dia de sua inauguração

leia também
comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do ecbahia.com. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral, os bons costumes ou direitos de terceiros. O ecbahia.com poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.