é goleada tricolor na internet

veículo informativo independente sobre o esporte clube bahia

Notícia | Entrevista

Publicada em 31 de agosto de 2018 às 16h06

Vinícius afirma objetivo por triunfo diante do CAP, seu ex-clube

Meia quer voltar a Salvador com triunfo diante do clube pelo qual torceu na infância, mas de onde guarda lembranças negativas como jogador

Victor de Freitas

2018-08-31-15-56_capavinicius42
Fonte: Felipe Oliveira / EC Bahia

Torcedor declarado do Atlético Paranaense, mas com uma passagem polêmica pelo clube, o meia Vinícius vai reencontrar sua antiga equipe neste domingo (02), novamente vestindo a camisa do Esquadrão de Aço.

De volta à cidade onde nasceu e diante da equipe onde atuou antes de chegar ao Fazendão, Vinícius afirma querer esquecer as lembranças negativas da equipe paranaense e voltar a Salvador com um resultado positivo para o Bahia.

"Pra mim, especial, um jogo marcante. Vou jogar contra meu ex-clube. Não gosto de ficar voltando por tudo o que aconteceu lá. Mas jogar em casa, jogar contra um time que já falei que era torcedor quando pequeno, minha família é de Curitiba, torcedora do Atlético-PR, realizei meu sonho de jogar em meu time do coração, mas não tenho boas lembranças de lá. Hoje estou no Bahia, estou feliz aqui e espero chegar domingo e conseguir o triunfo", disse o meia tricolor.

O meia teve uma passagem de um ano e meio pelo Atlético Paranaense, onde se envolveu em uma confusão com a diretoria do clube, por ter recusado uma oferta de empréstimo feita pelo Goiás, em 2016. No ano seguinte, ele retornou à Arena da Baixada, mas pouco atuou, desta vez por acusar diretores da equipe de terem feito ameaças contra ele por mais uma vez ter recusado uma negociação. Em seguida, acertou com o Bahia.

Pronto para voltar a jogar

Ausente da partida contra o Ceará, Vinícius revelou o motivo por ter ficado de fora do duelo. Para domingo, ele garante estar preparado para retornar à titularidade.

"Tive uma tendinite patelar que já vinha há algum tempo. Nessa sequência de jogo, uma hora ou outra a dor aumenta. Mas como falei, foi mais uma estratégia do Ederson para o jogo e pela sequência de jogos que vinha tendo. A gente sabia que a qualidade do gramado não era a melhor, que seria um jogo mais truncado. A estratégia dele foi essa. Mas estou apto a jogar. Se domingo ele optar por mim, vou estar feliz", afirmou.

A busca é pelo triunfo

"Sei da força que eles têm dentro de casa. É uma equipe que quando joga sob seus domínios usa a força da torcida para ir em cima do time adversário. É um jogo de seis pontos. A gente está um ponto acima deles, mas eles têm um jogo a menos. Um triunfo vai ser de suma importância. Mas a gente também está com o pensamento de que se não ganhar, não pode perder. A gente tem que estar sempre pontuando, vem de uma sequência de empates, mas esses empates deixaram sempre a gente e, posições boas. Claro que o Bahia nunca vai entrar para empatar".

Último jogo da sequência de três fora de casa

"Foram três jogos fora, terceira viagem aí, pesa bastante. A gente sabe que nossa profissão é essa. Infelizmente com o calendário com a Copa do Mundo, ficou mais apertado. Foram nove jogos no mês, vai começar um novo, a gente vem em uma sequência pesada. Enderson está fazendo rodízios. A gente sabe que de outras equipes, a gente tem um elenco mais reduzido, às vezes não tem como rodar todos os jogadores, mas quem entrar em campo vai dar o melhor".

leia também
comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do ecbahia.com. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral, os bons costumes ou direitos de terceiros. O ecbahia.com poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.