é goleada tricolor na internet

veículo informativo independente sobre o esporte clube bahia

Notícia | Baiano

Publicada em 19 de janeiro de 2022 às 13h29

Organizada é suspensa por 2 meses e faz críticas à diretoria

Bamor foi suspensa por quebrar acordo com MP e PM; Organizada emitiu nota com críticas diretas ao presidente Guilherme Bellintani

Victor de Freitas

torcidabamor
Fonte: Felipe Oliveira / EC Bahia

A torcida organizada Bamor recebeu uma punição de dois meses por parte da Polícia Militar devido ao episódio da invasão ao CT Evaristo de Macedo no dia 8 de janeiro. A ação gerou revolta por parte do próprio clube e de outras 15 agremiações que saíram do Bahia.

A suspensão acontece pelo fato de a organizada ter descumprido o TAC (Termo de Ajustamento de Conduta) firmado o MP-BA e a PM-BA.

Com a punição, membros da Bamor não poderão entrar no estádio vestindo camisas da organizada, nem com bandeiras, faixas ou instrumentos musicais.

A decisão foi tomada em audiência com o BOPE (Batalhão Especializado em Policiamento de Eventos). Confira a nota divulgada pela Polícia Militar:

"Na tarde de terça-feira (18), foi realizada uma audiência entre o comando do Batalhão Especializado em Policiamento de Eventos (Bepe) e representantes da torcida organizada Bamor, com o objetivo de aplicar medida educativa à supracitada torcida, motivada pela invasão de alguns membros ao centro de treinamento do Esporte Clube Bahia no dia 8 de janeiro. Em cumprimento às cláusulas previstas no Termo de Ajustamento de Conduta, firmado entre a Polícia Militar (PM), o Ministério Público (MP) e as torcidas organizadas, foi aplicada a medida educativa de suspensão de 60 dias à torcida organizada, que fica impedida de ingressar nos estádios portanto instrumentos musicais, faixas, bandeiras e seus uniformes. A medida é válida em todo o território nacional e começa a ser aplicada a partir de hoje."

Através de suas mídias sociais, a Bamor também se manifestou com uma nota oficial:

“(...) Estamos impedidos de comparecer aos eventos esportivos. Além disso ficou imposta a realização de uma ação social (faremos duas). Assim à Diretoria informa aos nossos integrantes que entre 19 de janeiro de 2022 a 19 de Março de 2022, em respeito a decisão emitida pelo Comandante do BEPE, fica proibido o uso de qualquer material da nossa instituição nas praças esportivas. A proibição perpassa pela NÃO presença da bateria, camisas, bandeiras e faixas da Torcida Bamor em jogos do Esporte Clube Bahia”.

A Bamor também fez críticas diretas à diretoria do clube e, em especial, ao presidente Guilherme Bellintani.

“Chama atenção que a Diretoria do Esporte Clube Bahia que "prega a democracia" e defende a diversidade, não sabe lidar com cobranças acerca da péssima gestão a frente do clube, o que culminou no rebaixamento, após diversos insucessos da má gestão. (...) Informamos ainda que nossa inquietação só acabará quando expurgarmos do nosso clube todos INCOMPETENTES e FRACASSADOS que gerem a nossa maior paixão, o ESPORTE CLUBE BAHIA”.

leia também
comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do ecbahia.com. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral, os bons costumes ou direitos de terceiros. O ecbahia.com poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.