é goleada tricolor na internet

veículo informativo independente sobre o esporte clube bahia

Notícia | Baiano

Publicada em 09 de maio de 2021 às 21h14

Prates festeja vantagem e diz que erros fazem parte do processo

Treinador da equipe de transição ressalta dificuldades da equipe por conta da baixa média de idade

Victor de Freitas

claudioprates8
Fonte: Guilherme Kahuna / @guilhermekahuna

O Bahia venceu mais um jogo com placar magro no Campeonato Baiano. Desta vez, o Tricolor venceu o Bahia de Feira por 1 a 0 na partida de ida da semifinal, ficando com a vantagem do placar mínimo para o duelo de volta.

Em entrevista coletiva após a partida, o técnico Cláudio Prates afirmou que o desempenho de seus jogadores e as dificuldades encontradas ao longo dos 90 minutos foram dentro do que era esperado.

O comandante tricolor afirma estar satisfeito com a vantagem, mesmo que por apenas um gol e reforça expectativa por mais dificuldades na volta.

“Foi dentro do esperado pela qualidade do Bahia de Feira. Sabíamos que iríamos encontrar dificuldades. Foi um time que mudou sistema, fez uma linha de cinco hoje. Conheço muito bem seu treinador (Oliveira Canindé), é muito capacitado. Nos complicou no início do jogo, mas quando conseguimos encaixar nossa subida de pressão, com os três atacantes marcando mais em cima, equilibramos e ajustamos. Tenho que bater nessa tecla: estamos dando casca e bagagem a meninos de 18 e 20 anos, contra jogadores muito rodados. Extremamente feliz pelo resultado. Qualquer vantagem é válida, mas muito pé no chão. É muito bom time, acostumado a jogar em um gramado diferente. Vamos ter as mesmas dificuldades no jogo de volta”.

Contabilizando fase de classificação e semifinal, já são 10 jogos no Campeonato Baiano. Após cada partida, as perguntas se repetem nas entrevistas coletivas. Afinal, por que o time não consegue evoluir no setor ofensivo?

Para Prates, a juventude da equipe é o fator que gera ansiedade. Ele também cita o gramado como mais um motivo de dificuldade para a baixa produtividade da equipe no campo ofensivo.

“Os meninos ficam um pouco ansiosos, hoje o campo prejudicou um pouquinho. A gente continua treinando da mesma forma que treinou, continua batendo na tecla de melhorias de valências individuais, mas mesmo assim eu sei que ainda continua pecando. Hoje sei que se tivéssemos acertando alguns passes na transição, poderia ter feito um placar melhor. Mas, volto a dizer: faz parte do processo de aprendizagem deles”.

Apesar de afirmar que a juventude do elenco influencia em momentos de tomar decisões e que erros são parte do processo do time de transição, Prates também diz que na reta final a equipe vai acertar o pé.

“Tomada de decisão, definições técnicas, tudo isso são conquistados nessa faixa de idade desses meninos. Já fizemos jogos sensacionais com tomadas de decisões muito boas e com várias chances de fazer gol. Faz parte do aprendizado, continuamos tentando dar o máximo de confiança para eles, pois são jovens, estão se entregando ao máximo que a gente pede em campo. Acima de tudo, tenho certeza que estando nessa reta final eles vão conseguir acertar o pé, ter uma melhora grande nas finalizações e principalmente ter um controle maior do jogo. Isso às vezes a gente perde por ser uma equipe jovem, que é característica do jogo sub-20. A gente fala isso porque quando o time tem um pouco de maturidade, consegue controlar melhor".

Em busca do título estadual

“A luta foi grande para chegar. Não vejo o Bahia fora de qualquer competição a não ser pelo título. Já colocamos na cabeça, até pela própria energia da conquista do tetracampeonato da Copa do Nordeste, também vamos buscar este título. Sabemos das dificuldades, principalmente pela equipe jovem que estamos montando. Mas (temos) essa luta, essa entrega e essa eficiência defensiva. E que a gente consiga melhorar a parte ofensiva, pois tenho certeza que eles vão ser merecedores caso a gente chegue na fase final do campeonato”.

Importância de atletas do transição na equipe principal

“Em nossa concepção como clube, isso é fundamental. A gente tem um alinhamento muito grande, até porque sou participante ativo da comissão permanente. Faço dois turnos. De manhã no principal e à tarde no transição. Então, a gente quando consegue colocar alguns meninos em cima é realmente a realização de um projeto bem feito. Matheus Teixeira, Renan, Ignácio, Marcelo... São vários exemplos que conseguem concatenar com o que o clube pensa da equipe de transição e do time principal. Muito feliz pela atuação e contribuição que eles deram na Copa do Nordeste”.

Elogios a Dênis Júnior e comparação com Matheus Teixeira

“Conversava com Júnior pela transparência que a gente teve com o Matheus, acima de tudo desde a vinda para cá, pois eu já conhecia desde o Palmeiras, que ele faria um processo dentro do transição para atingir essa unanimidade, essa titularidade que ele conseguiu na equipe principal. Extremamente feliz com o processo do Matheus e com o Júnior. Disse que ele tinha condições pelo nível técnico dele, pelo clube que ele vem, de fazer o mesmo processo. A gente já sabia que ganhou um novo goleiro e hoje só confirmou que é um cara muito seguro, muito tranquilo, treina e é humilde. Tem tudo para trilhar o mesmo caminho do Matheus”.

leia também
comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do ecbahia.com. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral, os bons costumes ou direitos de terceiros. O ecbahia.com poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.