é goleada tricolor na internet
veículo informativo independente sobre o esporte clube bahia

CBF promete decisão democrática sobre paralisação, mas diz: ‘não é tão fácil’

Notícia
Brasileiro
Publicada em 14 de maio de 2024 às 10:13 por Victor de Freitas
Ednaldo Rodrigues descarta 'proteção contra rebaixamento' a clubes gaúchos e fala em dificuldades que serão geradas por paralisação
Ednaldo Rodrigues CBF
Foto: Rodrigo Ferreira / CBF

A maioria dos clubes da Série A já tem uma posição definida sobre a necessidade de paralisar a competição de forma imediata, após o envio do ofício por parte dos 11 clubes que compõem a Liga Forte União.

Além dos clubes que já se manifestaram com o ofício por meio da LFU, Grêmio e Atlético-MG também são outros declaradamente favoráveis à pausa na competição.

Pelo lado da CBF, o presidente Ednaldo Rodrigues afirma que aguarda para ouvir o posicionamento de todos os 20 clubes da primeira divisão antes de tomar uma decisão e mostrará as dificuldades que poderão ser causadas.

No entanto, ele afirma que a decisão será tomada respeitando o desejo dos clubes e não só o que a CBF pensa.

“Primeiro, reitero sempre a nossa solidariedade a todo o povo do Rio Grande do Sul, por tudo o que está passando. Sobre o pedido de paralisação, é interessante que possamos ouvir todos os clubes para definir. Isso envolve calendário, classificação para as competições sul-americanas e até a Intercontinental, caso um clube brasileiro ganhe a Libertadores. Não é tão fácil assim. Mas somos todos democráticos. Depois de colocar todos esses pontos para que eles definam, não tenho como ficar contrário (aos clubes) porque nossa gestão é democrática. Vamos mostrar o contraditório dessa paralisação, mas vamos respeitar a decisão dos clubes”, afirmou Ednaldo, em entrevista ao ge.globo.

O mandatário da Confederação Brasileira de Futebol argumenta que parar as competições resultaria também na paralisação da economia que é gerada através do futebol.

“Quando a gente constrói uma competição, a gente reúne o Conselho Técnico e ali se decide início, término, quem ascende e quem rebaixa. A CBF tem a prerrogativa de fazer o adiamento (de jogos). Porém, uma paralisação atinge por completo toda a cadeia produtiva do futebol. E aí é interessante que a CBF não tenha uma decisão monocrática, mas sim democrática. Nós sempre temos feito assim”.

Sobre uma possível ‘proteção contra rebaixamento’, Ednaldo descarta a possibilidade.

“Essa teoria eu não concordo. De imediato eu rechaço. Quando se faz uma competição, se obedece a leis e princípios. E as competições têm interdependência umas com as outras. Quatro clubes sobem de divisão, quatro são rebaixados. Quem tem o bônus também tem que ter o ônus. Não se pode dizer ‘não vai ser rebaixado’ se puder ser campeão. Fere os princípios da moralidade”.

Uma Reunião do Conselho Técnico da Série A foi marcada para o dia 27 de maio para abordar sobre a possível paralisação.

comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do ecbahia.com.
É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral, os bons costumes ou direitos de terceiros.
O ecbahia.com poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios
impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

enquete

Após mais de 50 jogos pelo Bahia, como você avalia o trabalho de Rogério Ceni?
todas as enquetes
casas de apostas brasileiras