é goleada tricolor na internet
veículo informativo independente sobre o esporte clube bahia

Sem Cauly, Bahia mostra carência de criatividade em campo

Notícia
Brasileiro
Publicada em 9 de julho de 2023 às 09:30 por Victor de Freitas

cuixba2
Fonte: Felipe Oliveira / EC Bahia

O Bahia voltou a demonstrar fragilidades táticas e técnicas contra o Cuiabá, resultando em mais um jogo sem vencer na temporada.

Além dos já conhecidos problemas defensivos, dessa vez o Esquadrão de Aço demonstrou uma enorme carência no setor criativo no primeiro jogo sem Cauly no Brasileirão.

Apático no início da partida, o Tricolor cedeu a bola ao adversário e sofreu diversos ataques até levar o gol em um pênalti visto como “infantil” até mesmo pelo técnico Renato Paiva.

E se defender mal já é uma das marcas mais conhecidas do Bahia de 2023, com o treinador sem conseguir acabar com essa falha.

Sob o ponto de vista ofensivo, o Bahia só conseguiu entrar em campo a partir dos 40 minutos, chegando ao gol em dividida entre Mingotti e Alan Empereur, que resultou em gol contra no começo da segunda etapa.

O empate até deu uma esperança de melhoria na equipe, o que não aconteceu.

Nos números gerais, a equipe comandada por Paiva só finalizou 6 vezes em 90 minutos.

Foram 2 finalizações no primeiro tempo inteiro e 4 ao longo do segundo tempo.

Dessas seis finalizações, apenas duas foram na direção da meta adversária, mesmo com mais posse de bola.

Diante do pouco que criou, o SofaScore registrou um xG (número de gols esperados) de apenas 0,30.

Cauly é a engrenagem criativa do Bahia e não tem reserva

Antes de sofrer uma lesão muscular, Cauly havia jogado todas as 13 partidas do Campeonato Brasileiro, sendo que duas delas foram como reserva.

Em campo, o meia se destaca pelo jogo vertical e criatividade com a bola no pé.

Cauly é o 8º jogador com mais passes decisivos por jogo no Brasileirão, segundo ranking do SofaScore. São passes que resultaram em lances de perigo para o Bahia.

Mesmo com Daniel no elenco, o meia não vinha sendo ‘refrescado’, como Renato Paiva costuma dizer.

Com a saída do antigo camisa 10, o setor ficou ainda mais carente, sem opção de substituição à altura mesmo com quase R$ 100 milhões investidos.

Contra o Cuiabá, Renato Paiva colocou em campo o jovem Patrick Verhon, meia de armação, mas somente aos 46 minutos do segundo tempo.

Comparação com jogos anteriores

O Bahia não finalizava tão pouco em um jogo desde o empate em 0 a 0 com o Fortaleza, no início de junho.

Desde então, a equipe havia disputado cinco partidas, todas com pelo menos 10 finalizações.

Em todas elas, o Bahia mostrou problemas no setor ofensivo, com erros na finalização.

Porém, dessa vez as carências se escancararam ainda mais com dificuldades até mesmo para fazer a bola chegar na área adversária.

Números de Cuiabá 1×1 Bahia:

numeroscuiba
Fonte: Sofascore

comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do ecbahia.com.
É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral, os bons costumes ou direitos de terceiros.
O ecbahia.com poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios
impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

enquete

Após mais de 50 jogos pelo Bahia, como você avalia o trabalho de Rogério Ceni?
todas as enquetes
casas de apostas brasileiras