é goleada tricolor na internet

veículo informativo independente sobre o esporte clube bahia

Coluna

Manuelito Magalhães
Publicada em 10/12/2020 às 20h06

Passageiros da Agonia

A torcida tricolor foi dormir na quarta-feira com ares de revolta. Primeiro, com a atuação desastrosa da arbitragem, tanto em campo como na sala de vídeo, no nefasto VAR. Nem vou me ater aos lances polêmicos, que é chover no molhado. Muita água já rolou por aí. Mas, não há concentração possível dos jogadores ou “sangue quente” que não esfrie quando o jogo é parado por 20 minutos em 6 lances diferentes! O VAR foi criado para apoiar a arbitragem de campo e fazê-la errar menos. Na prática, estamos substituindo os erros em campo, pelos erros da sala de vídeo. Inadmissível! Apoiei a presença dessa nova tecnologia em campo, mas já estou cansando de comemorar gols anulados ou ficar aguardando 3 ou mais minutos para saber se posso pular ou gritar. O futebol arbitrado pelo vídeo, se continuar assim, vai desmoralizar o futebol jogado em campo.

A revolta do torcedor do Bahia dirige-se também à equipe e seu treinador, com justa razão. A uma, porque não é mais possível suportar a agonia de ver Elias e Rodriguinho em campo, com Daniel no banco, sacado do time. A duas, porque Mano Menezes tem feito leituras erradas do comportamento do time, comprometendo resultados. O Bahia terminou o primeiro tempo “no jogo”, pressionando o fraco Defensa y Justicia e perdendo gols. Qual a razão para tirar Daniel e colocar Rodriguinho? Por qual motivo Elias tem que substituir o apagado Élber? São questões que o nosso treinador tem tangenciado sob a desculpa de não individualizar a discussão. O argumento é compreensível, mas não justifica a repetição dos erros, partida após partida.

Por falar em Élber, outro problema que não conseguimos corrigir é a já manjada saída pela esquerda entre ele e Juninho. Um de costas para o adversário, outro com um único movimento a fazer, para dentro do campo. Não precisa muito para facilitar a marcação. O primeiro gol do jogo saiu exatamente deste movimento em falso de saída de bola tricolor. Revendo os gols da partida, fica evidente o problema de se utilizar jogador sem capacidade física e/ou técnica. No terceiro gol do adversário nota-se perfeitamente a corrida maluca de Elias e Rodriguinho, marcando esplendorosamente a bola, enquanto o atacante verde-amarelo avançava para área e recebia a bola livre para concluir contra o gol de Anderson. Já no segundo gol do tricolor, a recuperada de bola de Matheus Bahia, o toque para Gabriel, que se livra do adversário e devolve para um bem posicionado Matheus finalizar o lance que iniciou. Quanta diferença de qualidade e de competitividade!

O Bahia mantém suas (poucas) chances na Copa Sulamericana, a serem jogadas na próxima quarta-feira, na Argentina, muito mais pela fraqueza do oponente do que por seus méritos. Antes, porém, enfrenta o Palmeiras, no sábado, em São Paulo, pelo Brasileirão. Mas, a torcida estará de olho mesmo é na segunda-feira, quando, tudo indica, o presidente estará reeleito e legitimado para iniciar as mudanças que prometeu durante a campanha. Tudo que a torcida gostaria é de um bom tapa na mesa e o afastamento de jogadores sem condições de competir, como exemplo. Virá? Não creio, não faz o perfil de nosso presidente. Continuaremos a ser passageiros da agonia de ter Elias em campo? BBMP!!

Outras colunas
comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do ecbahia.com. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral, os bons costumes ou direitos de terceiros. O ecbahia.com poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.