é goleada tricolor na internet

veículo informativo independente sobre o esporte clube bahia

Notícia | Entrevista

Publicada em 21 de novembro de 2021 às 16h29

Adriano MJ relembra 2010: 'todos bebiam, por isso subimos o Bahia'

Sincero, atacante ex-Bahia relembra causos da carreira e cita relatos de 'farras' em 2010

Da Redação

2020-03-21-15-51_adrianomichaeljackson2010

Adriano Michael Jackson foi um dos grandes nomes da Série B de 2010, na qual o Bahia conseguiu o acesso para retornar à primeira divisão nacional. Entre gols, dribles e assistências, o jogador rapidamente conquistou o status de xodó da torcida.

Atualmente com 34 anos e buscando um novo clube para 2022, o jogador concedeu uma entrevista com tom bastante sincero ao portal UOL, no qual contou inúmeros casos de sua carreira, citando também a passagem no Bahia.

Dentre os relatos contatos pelo atleta ex-Bahia, ele afirma, sem medo, que sempre ingeriu bebidas alcoólicas antes e depois de treinos e jogos, inclusive nas concentrações.

“Muitas vezes já fui para a concentração e levava bebida, bebia tudo e, chegava no jogo, fazia gol. Me dava sorte tomar cachaça antes do jogo. Um dia antes do jogo era certo tomar uma cerveja, um whisky. O que me fazia correr dentro de campo era a cachaça. Eu tinha que tomar. No dia seguinte tomava um (energético) Red Bull, entrava em campo parecendo uma pena, leve, leve”, falou o jogador, sem nada a esconder.

Sobre sua passagem pelo Esquadrão de Aço, Adriano Michael Jackson relatou que não só ele, mas o elenco bebia da mesma forma. Sem citar nomes de outros companheiros, o jogador afirmou que ‘a cachaça subiu o Bahia’ em 2010.

"Todos bebiam. Por isso a gente subiu o Bahia para a primeira divisão. A cachaça foi o combustível do acesso do Bahia. Fazíamos churrasco na casa de alguém, chamava todo mundo, todos iam, se abraçavam. Nas partidas, todos corriam um pelo outro. Ninguém brigava com reclamação. Nunca teve desentendimento".

O último triunfo do Bahia, fora de casa, contra o Sport foi em 2010. Adriano MJ contou um relato inusitado de como viajou para acompanhar o time na partida, mesmo suspenso. Novamente, ‘travado’.

“Tínhamos um jogo contra o Sport em Recife. Eu estava suspenso, não ia para o jogo. Meu celular descarregou, e eu ia de carona nessa época. Perdi a carona, saí atrasado e peguei um 'busu'. Só que peguei o ônibus errado. Fui correndo pelo meio da rua, quando cheguei, estava todo mundo treinando já. E eu 'travado'. Desci, falei com o treinador, expliquei tudo, me aqueci, não tava nem enxergando nada. O técnico me colocou para treinar. A cada passe de dois metros, eu achava que estava batendo um tiro de meta e ainda caía".

Comissão técnica tinha conhecimento

Adriano Michael Jackson também afirmou que o técnico Márcio Araújo só pediu para o atacante tomar cuidado para que não caísse na mídia.

"Eu estava bem, era o artilheiro do time, com moral com o treinador. Todo jogo em Pituaçu eu fazia gol e a gente vencia. Ele me botou para treinar mesmo assim. Depois, me chamou no quarto para conversar. Perguntou se eu tinha tomado uma pinga. Eu falei: 'Tomei foi o litro todo, treinador'. E ele disse: 'Eu senti, você chegou perto e eu quase desmaiei com o cheiro'. Mas foi tranquilo. Ele me pediu só para não dar mole de alguém me ver e todo mundo ficar sabendo. A gente se deu bem e subimos o time com o Márcio Araújo, um grande técnico e uma grande pessoa".

leia também
comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do ecbahia.com. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral, os bons costumes ou direitos de terceiros. O ecbahia.com poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.