é goleada tricolor na internet
veículo informativo independente sobre o esporte clube bahia

Ceni admite dificuldades para ajustar defesa do Bahia com opções do elenco

Notícia
Entrevista
Publicada em 22 de abril de 2024 às 16:39 por Victor de Freitas
Treinador vê "cobertor curto" no elenco tricolor
Foto: Tiago Caldas / EC Bahia
Foto: Tiago Caldas / EC Bahia

Após mais dois gols sofridos em um Ba-Vi, a defesa foi um dos temas que foram alvos de perguntas na entrevista coletiva do técnico Rogério Ceni.

Com cinco gols sofridos em três rodadas do Brasileirão, o treinador foi questionado sobre quais seriam os problemas para ajustar o setor defensivo da equipe tricolor na temporada.

Segundo o comandante do Esquadrão, o fato de ter laterais ofensivos e um meio-campo que não tem características de marcação, são os principais motivos para o time se tornar vulnerável em alguns momentos defensivamente.

O problema é que a gente acaba segurando sempre um dos laterais porque o meio de campo é muito ofensivo. Se colocar o Rezende, a gente perde a alma do time, que são os quatro jogadores de meio”.

“Nós optamos por Juba e seguramos mais o Arias. No segundo tempo seguramos o Juba, trouxemos Biel e liberamos mais o Arias. Acho que ele rende mais ofensivamente. Eu pensei em trazer o Gilberto para tornar o time mais ofensivo, mas queria ter mais gente na área. Mas vi que o Caio Alexandre já estava cansado, e resolvi colocar o De Pena. Eu segurei essa troca de laterais porque a gente mais urgente manter o meio com fôlego e o Oscar na frente. A gente queria ganhar o jogo, o momento era propício. Faltou muito pouco. A gente tenta segurar mais justamente por ter o Caio Alexandre no meio que tem essa característica de construção”.

O treinador também explicou sua estratégia de apostar em Rezende como zagueiro no segundo tempo do Ba-Vi.

“O Rezende entra no lugar do Cuesta para dar agilidade na construção, já que ele é volante de origem. O Juba já tinha apoiado mais no primeiro tempo e ficou para fazer a proteção ao lado de Rezende e o Arias fez a função que eu acho que ele faz melhor no ataque, com Biel do outro lado. Thaciano e Everaldo ficaram à frente para prender mais essa bola na área. Eu não jogo com o 9 sempre porque se não abriria mão de Cauly para dar superioridade no meio. São escolhas que temos que fazer. Naquele momento, com o 2 a 0, arriscamos mais do que o normal. Já treinamos muito Everaldo com Oscar e Biel. Recuamos mais o Cauly para fazer a função do Everton. De bom, conseguimos ficar melhor até o final, e de ruim é que não conseguimos o gol e os três pontos”.

O Bahia enfrentará o Grêmio na quarta rodada do Brasileirão, no próximo sábado (27), na Fonte Nova.

Quer receber notícias do Bahia no seu WhatsApp? Clique aqui e entre no nosso grupo exclusivo para notícias do Esquadrão!

comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do ecbahia.com.
É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral, os bons costumes ou direitos de terceiros.
O ecbahia.com poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios
impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

enquete

Após mais de 50 jogos pelo Bahia, como você avalia o trabalho de Rogério Ceni?
todas as enquetes
casas de apostas brasileiras