é goleada tricolor na internet

veículo informativo independente sobre o esporte clube bahia

Notícia | Entrevista

Publicada em 14 de janeiro de 2022 às 14h21

Marcelo Ryan vê Bahia preparado e quer triunfo na estreia do Baiano

Atacante fala em 'revanche' contra o Bahia de Feira após eliminação na semifinal de 2021

Victor de Freitas

marcelor3
Fonte: Divulgação / EC Bahia

A bola vai voltar a rolar para o Bahia. Após um mês e meio sem jogos oficiais, o Esquadrão de Aço estreará no Campeonato Baiano neste sábado (15), contra o Bahia de Feira, fora de casa.

A estreia tricolor no Estadual acontecerá com o time de transição, que vinha sendo preparado pelo auxiliar Bruno Lopes desde o mês de dezembro. Com a mudança de planos no meio do campo, o grupo ainda recebeu alguns jogadores do elenco principal para o início da competição.

Quem está garantido na equipe titular que estreará no Baianão é o centroavante Marcelo Ryan. Elogiado por Guto, o jovem atacante foi entrevistado na véspera da estreia na competição local e, para ele, o time está preparado para iniciar com o pé direito.

"Nossa preparação foi muito boa. Nós abrimos mão das férias, voltamos antes que os demais para nos prepararmos bem e chegarmos muito fortes para o Campeonato Baiano”.

O adversário da estreia é coincidentemente o mesmo que eliminou o Bahia na semifinal de 2020. Para Marcelo, há, sim, um clima de “revanche”.

"Sim, com certeza. Nós vamos com tudo para cima do Bahia de Feira para triunfar e buscar os três pontos. Queremos começar bem o campeonato”.

Amadurecimento como profissional em 2021

"Eu acho que amadureci bastante no tempo em que passei pelo profissional. Foi um bom período para eu chegar bem no elenco principal, já que não vai ter mais sub-23, vão juntar os elencos. É chegar bem para ajudar a equipe”.

Apoio de centroavantes experientes

“Foi muito importante demais ter referências próximas como Gilberto e Rodallega. Ouvir coisas deles e ter conselhos deles. Para mim, que estou começando agora, foi importante demais".

Treinadores com quem trabalhou no clube

“Com Eduardo Guadagnucci foi quando comecei a jogar mais, ter mais oportunidades de jogos. Com o professor Dado, ele me deu a oportunidade de jogar na Sul-americana, fiz dois gols, e joguei no Brasileiro. Ainda não estreei com o professor Guto. E com Bruno Lopes eu estou entendendo mais o jogo, mais situações e assim será melhor para a equipe da Bahia”.

leia também
comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do ecbahia.com. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral, os bons costumes ou direitos de terceiros. O ecbahia.com poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.