é goleada tricolor na internet

veículo informativo independente sobre o esporte clube bahia

Notícia | Entrevista

Publicada em 30 de abril de 2021 às 17h25

Matheus Teixeira avalia início de trajetória no Bahia e projeta final

Goleiro foi quarta opção em 2020 e será titular na final do Nordestão

Victor de Freitas

matheusteixeira6
Fonte: Felipe Oliveira / EC Bahia

Matheus Teixeira chegou ao Bahia em 2019, mas só estreou oficialmente quase dois anos depois, mesmo iniciando a temporada passada na equipe sub-23. Após um início difícil, como quarta opção do gol tricolor em 2020, ele afirma que em momento algum parou de trabalhar e comemora o destaque na fase decisiva do primeiro semestre.

Atualmente com 22 anos, Teixeira inicialmente atuou pela equipe sub-20 do Esquadrão por falta de tempo para ser inscrito no Brasileirão de Aspirantes de 2019. A partir de 2020, foi promovido ao elenco de cima e passou a lutar pelo seu espaço.

Em entrevista ao jornal Correio*, o titular do Bahia na final do Nordestão comentou sobre seu início no clube e o destaque conquistado por méritos próprios em 2021.

“No Bahia eu vim para o sub-23, mas cheguei atrasado e não consegui fazer a inscrição. Fiquei no sub-20, fiz alguns jogos e fui para o sub-23, foi quando o Dado chegou. Eu acabei não jogando no transição e só este ano comecei a atuar. Primeiro no Baiano e agora essas duas partidas no principal”.

Ao longo do ano passado, viu Mateus Claus e Anderson ganharem chances nas ausências de Douglas, durante Brasileiro e Sul-americana, e admite que o fato de não ter sido utilizado em nenhum momento chegou a causar desânimo.

“Quando a gente se vê nessa situação (de não ser escolhido para jogar), é normal desanimar um pouco. Mas quando a gente vem para um clube do tamanho do Bahia, que tem profissionais que vão te apoiar, te auxiliar no seu crescimento, nos momentos em que eu estava desanimado a maioria me colocava para cima: ‘Trabalha para você, se não for no Bahia vai ser em outro lugar. Queira Deus que seja no Bahia, se o Bahia precisar você vai ajudar. O Bahia ganha, você ganha e todos os companheiros ganham’. Isso me motivou a continuar trabalhando, sabendo que o pessoal estava confiante de que se precisasse eles me colocariam para atuar sem problema algum”.

Na última semana, recebeu a notícia de que seria titular. Chateado pelo fato de Douglas ter contraído Covid-19, mas motivado pela chance no time principal.

“Realmente eu não esperava. A gente nunca espera que o nosso companheiro vá adoecer, se machucar, mas fica sempre pronto para se precisar jogar. Mas quando a notícia chega é completamente diferente. Eu tive um dia para me preparar, assimilar. Quando ele (Douglas) pegou covid-19, me foi passado que eu seria o substituto e na hora deu aquele nervosismo normal, a ansiedade de jogar, de mostrar o que eu venho fazendo. Eu tive um pouco de ansiedade, mas tive tempo para absorver essa notícia”.

Com dois jogos e três penalidades defendidas, ele se vê mais confiante para a decisão do Nordestão.

“Eu fico bem confiante, ainda mais pelos resultados das partidas anteriores, acho que a equipe fica confiante também. Cada vez que você passa um degrau, fica mais confiante para subir o próximo. Passou aquilo da estreia e agora é o momento de fazer melhor e trazer esse troféu. Se eu já fiz tudo isso não posso fazer menos, e é o que a final vai exigir da gente, dar o nosso melhor”.

Com Matheus Teixeira, o Bahia vai a campo às 16h deste sábado, contra o Ceará, no Pituaçu.

leia também
comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do ecbahia.com. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral, os bons costumes ou direitos de terceiros. O ecbahia.com poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.