é goleada tricolor na internet

veículo informativo independente sobre o esporte clube bahia

Notícia | História

Publicada em 23 de setembro de 2022 às 21h06

Proposta do City é aberta pelo Bahia: R$ 1 bilhão por 90% da SAF

Confira detalhes sobre a oferta bilionária

Da Redação

bellintani78
Fonte: Felipe Oliveira / EC Bahia

Contrariando inúmeras previsões pessimistas, a proposta do Grupo City é mais do que real e se tornou devidamente oficial nesta sexta-feira (23). Em reunião na Arena Fonte Nova, a Diretoria Executiva detalhou a oferta para os conselheiros do clube.

A proposta é maior do que os próprios vazamentos da imprensa internacional indicavam ao longo dos meses.

Ao todo, o Grupo City se compromete a investir um total de R$ 1 bilhão no futebol do Bahia, em troca de receber 90% do controle da Sociedade Anônima do Futebol (SAF) tricolor.

A associação civil Esporte Clube Bahia terá poder sobre 10% do futebol.

O aporte bilionário será dividido da seguinte forma:

  • R$ 500 milhões para compra de jogadores;
  • R$ 300 milhões para pagar dívidas; e
  • R$ 200 milhões para investimentos em infraestrutura, capital de giro e divisões de base.

Os valores foram publicados pelo jornalista Rodrigo Capelo, da Rede Globo.

Entretanto, há de se ressaltar que não será da noite para o dia que todo esse valor será investido no Bahia.

O Grupo City tem um prazo de 15 anos para realizar todo o aporte prometido em contrato.

O próprio presidente Guilherme Bellintani já havia destacado essa possibilidade em entrevistas anteriores, quando afirmou que o projeto não de curto prazo, mas, sim, pensando a médio e longo prazos.

Entretanto, há uma expectativa de que a maior parte dos investimentos na aquisição de atletas ocorra nos primeiros cinco anos.

Haverá obrigação ainda de que a SAF mantenha a folha salarial da empresa, no que tange ao futebol, no que for maior entre:

  • R$ 120 milhões por ano; ou
  • R$ 60% da receita bruta da SAF, excluindo transferências de jogadores.

Dívidas serão liquidadas

Como já vem sendo feito, o Bahia, através da associação civil, vai continuar realizando a negociação dos seus débitos diretamente com seus credores. Está descartado um processo de recuperação judicial, como o Cruzeiro deu início.

Todas as dívidas serão quitadas pelo Grupo City.

Marcas serão mantidas pela associação

Não há obrigação de que o Tricolor passe a se chamar “Bahia City”, tampouco mude seu tom de azul para celeste ou troque de escudo.

O Bahia ainda assegurou poder total sobre hino, brasão, escudo, símbolo, apelido e suas cores.

Qualquer mudança acontecerá somente sob aval da associação. A SAF não terá controle algum.

Programas do clube serão mantidos

Outro fator de destaque é que o Bahia conseguiu que a SAF mantenha ativos alguns dos principais programas do clube, como a Camisa Popular, o plano de sócios “De Bermuda e Camiseta” e o projeto “Dignidade ao Ídolo”.

leia também
comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do ecbahia.com. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral, os bons costumes ou direitos de terceiros. O ecbahia.com poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.