é goleada tricolor na internet

veículo informativo independente sobre o esporte clube bahia

Notícia | Mercado

Publicada em 07 de junho de 2022 às 10h02

Clubes podem ser punidos por SAFs vendidas sem supervisão do Cade

Conselho Administrativo de Defesa Econômica faz notificação a clubes que já venderam SAF

Da Redação

cade
Fonte: Divulgação

Com o Bahia caminhando para concluir suas negociações envolvendo a venda da SAF para o Grupo City, é fundamental que o clube tenha conhecimento de todas as ações que já ocorreram referentes a vendas anteriores por parte de Botafogo, Cruzeiro e Vasco, para saber o que pode e não pode ser feito.

Nos últimos dias, surgiu a informação de que Cruzeiro e Botafogo estão na mira do Cade (Conselho Administrativo de Defesa Econômica), por não terem enviado informações detalhadas sobre a venda das suas respectivas SAFs entre o fim de 2021 e o primeiro trimestre de 2022.

Segundo o jornal Folha de S. Paulo, os clubes que já efetivaram a venda das SAFs (Cruzeiro, para Ronaldo; e Botafogo, para John Textor), podem receber multa de até R$ 60 milhões.

O Vasco, que ainda não concluiu 100% das tratativas pela venda da SAF ao 777 Partners, não corre risco de punição, mas também foi notificado para que as informações sejam enviadas ao órgão. O mesmo deve ocorrer com o Bahia, caso avance nas tratativas com o Grupo City.

“O descumprimento da exigência de notificação prévia implica penalidades como multas, que variam de R$ 60 mil a R$ 60 milhões. Um processo administrativo para apuração de infração à ordem econômica também pode ser instaurado, e a operação corre risco de ser anulada”, informa o Cade.

O motivo é que a legislação de defesa da concorrência prevê que o Cade deve receber informações antes que os negócios sejam concluídos, nos casos em que, pelo menos, um dos grupos envolvidos na negociação tenha faturamento bruto anual a partir de R$ 750 milhões.

Aos clubes, o órgão solicitou cópias dos contratos, informações detalhadas das operações, bem como quem são os compradores e a estrutura da SAF antes e depois da transação ser concluída. A lista de acionistas, cotistas diretos e indiretos também é solicitada.

Além disso, o Cade requer a relação de empresas em que a SAF possua participação societária acima de 20% no país

Recusar, omitir ou retardar o envio dos dados solicitados pelo Cade pode gerar punição diária de R$ 5 mil.

O Cade entende que a lei pode ser aplicada a esses casos, porque as SAFs se caracterizam como clubes-empresas.

 

leia também
comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do ecbahia.com. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral, os bons costumes ou direitos de terceiros. O ecbahia.com poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.