é goleada tricolor na internet

veículo informativo independente sobre o esporte clube bahia

Notícia | Nordestão

Publicada em 05 de agosto de 2020 às 09h08

Gestão de Bellintani segue colecionando fracassos no futebol

Elogiada em diversos departamentos, gestão atual segue devendo no futebol

Da Redação


Clique aqui e se inscreva no Canal ecbahiapontocom no Youtube!

Bellintani mascara frustrado

Hoje o torcedor tricolor está de cabeça quente (infelizmente não é a primeira matéria que começamos com essa frase esse ano). Espera-se que também estejam toda a diretoria executiva do Bahia, comissão técnica e jogadores.

Falando em comissão técnica, Roger Machado, que já tem seu trabalho questionado por parte da torcida desde o segundo semestre de 2019, vê a pressão por sua saída aumentar bastante. Roger não apresenta um cardápio de variações de jogo, tornou o esquema do Bahia previsível e mantém uma irritante hierarquia nas escalações e alterações. Insiste em jogadores que estão rendendo muito abaixo da expectativa e pouco demonstra se incomodar com atuações muito abaixo do que o time pode render e continua defendendo um time apático em campo.

Por mais que tentem “passar pano” na derrota de ontem, perder o título da forma como aconteceu foi sim um vexame, um fracasso. Um Bahia previsível, apático, desorganizado. E esse fracasso infelizmente é mais um da gestão de Guilherme Bellintani, tão elogiada por ações fora de campo e pela continuidade do processo de reorganização administrativa e financeira do clube, mas que segue devendo no futebol (sem falar das divisões de base). Confira abaixo os ítens dessa amarga coleção:

Copa do Nordeste 2020 - jogando em Salvador nos últimos 5 jogos, com o maior orçamento e melhor elenco da competição , dando sorte no faseamento, as atuações do Bahia nas fases finais da Copa do Nordeste foram muito ruins, apesar dos 2 triunfos. Passamos pelo Botafogo-PB em uma atuação muito contestada da arbitragem (em nosso favor na maioria dos lances cruciais), muito sufoco para vencer o Confiança por 1x0 e duas derrotas incontestáveis para o Ceará (4x1 no agregado). O Bahia não entrou em nenhum desses jogos com espírito de final, de mata-mata. O que está acontecendo no vestiário?

Copa do Brasil 2020 - Eliminação vexatória para o River-PI na primeira fase da competição em uma atuação também apática, causando uma perda esportiva e financeira. No planejamento orçamentário (que é conservador), o Bahia tinha previsão de arrecadar cerca de R$ 6 milhões com a Copa do Brasil e saiu apenas com a cota de participação de cerca de R$ 1 milhão.

Campeonato Brasileiro 2019 - Apesar de ter terminado na 11ª colocação, o Bahia fez uma campanha de Z-4 no segundo turno, eliminando algumas chances que teve de se manter entre os 8 classificados para a Libertadores. Foram apenas 3 triunfos em 19 jogos, 18 pontos no returno (31,58% de aproveitamento), apenas 2 pontos acima do CSA, por exemplo, que teve a segunda pior campanha

Sul-Americana 2019 - Eliminação na primeira fase da competição para o modesto time do Liverpool do Uruguai, que em 103 anos de história ganhou apenas seis títulos de segunda divisão, tendo o último deles sido conquistado em 2015.

Copa do Nordeste 2019 - Eliminado do certame regional ainda na fase de grupos. O último e derradeiro jogo foi contra o Sampaio Correa, quando o Bahia precisava vencer pra se classificar em quarto lugar e levou 1x0 com um golaço de cobertura. Teve também derrota para o modesto Sergipe, em casa.

Campeonato Baiano 2019 - Apesar do título, uma classificação para as fases finais em terceiro lugar, apenas garantida no último jogo da primeira fase após tropeços de Vitória e Vitória da Conquista. Sem o rival classificado, passou pelo Atlético de Alagoinhas na semifinal e bateu o Bahia de Feira na Final por 1x0. Ao todo, 42 jogadores foram utilizados pelo Bahia e nenhuma escalação foi repetida. Três técnicos comandaram o time no certame estadual (Cláudio Prates, Enderson Moreira e Roger Machado).

Copa do Nordeste 2018 - Após o título em 2017, o Tricolor encarou uma Copa do Nordeste como principal favorito ao título. Sport e Fortaleza não participaram do torneio nesse ano. Após terminar a fase de grupos como líder, o Bahia encarou Botafogo-PB (quartas), Ceará (semi) e o Sampaio Correa na final. E em 180 minutos o Bahia não conseguiu marcar um gol no modesto time do Maranhão, que calou uma Fonte Nova lotada e levantou a taça do Nordeste.

leia também
comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do ecbahia.com. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral, os bons costumes ou direitos de terceiros. O ecbahia.com poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.