é goleada tricolor na internet

veículo informativo independente sobre o esporte clube bahia

Notícia | História

Publicada em 28 de setembro de 2020 às 16h24

Heptacampeonato estadual do Bahia completa 41 anos

Esquadrão brilhou com sete conquistas seguidas na década de 70

Victor de Freitas

2016-09-28-18-46_CapaBahia1979

A maior sequência de títulos do futebol baiano completa mais um aniversário nesta segunda-feira (28). Trata-se do heptacampeonato baiano conquistado pelo Bahia durante a década de 1970.

O sétimo troféu da série de sete títulos seguidos de campeão baiano foi conquistado no dia 28 de setembro de 1979, com uma série de grandes craques que vestiram a camisa tricolor naquela época. A conquista reafirmava a superioridade tricolor no cenário estadual.

O troféu do hepta foi levantado na antiga Fonte Nova, diante de mais de 42 mil torcedores, contra o Vitória. A decisão foi vencida pelo Tricolor de Aço por 1 a 0.

O sétimo título seguido foi conquistado em um lance de sorte e competência do atacante Fito, que acertou um chute de longa distância e contou com uma falha do arqueiro adversário.

Números das conquistas

Entre 1973 a 1979, o Esquadrão manteve uma fama de ser praticamente imbatível. Foram 228 jogos disputados, apenas nos sete estaduais, com 142 triunfos, 75 empates e 11 raras derrotas.

Nas sete edições de Baiano, o Esquadrão marcou incríveis 419 gols e sofreu apenas 102.

Em 1976, o Tricolor, dirigido por Orlando Fantoni, anotou inigualáveis 96 gols em 36 jogos de Campeonato Baiano. Já a maior goleada do hepta foi de 9 a 0, sobre o Leônico.

Números históricos que também merecem serem lembrados são as séries invictas de 1977 e 78, quando ficou até 12 jogos sem levar um gol sequer, e o título invicto conquistado em 1975.

Os ídolos do hepta

Os lendários Baiaco, Sapatão e Fito foram os únicos que participaram de todas as sete conquistas. Além do trio, que marcou época com a camisa do Bahia, a nação tricolor também foi agraciada com outros grandes jogadores.

Além deles, o maestro Douglas, por exemplo, é considerado por muitos como o maior jogador da história do clube.

Outros tantos nomes merecem destaque, como Thyrso “Chiquitinha”, “Uri”-Jésum (o entortador de zagueiros), Washington Luís, Jorge Campos, Piolho, Mikey, Roberto Rebouças, Ronaldo Passos, Gilson Gênio, Zé Augusto...

A FINAL DE 79
BAHIA 1×0 VITÓRIA

28 de setembro de 1979
Local – Fonte Nova
Público – 42.533 pagantes
Arbitragem – Arnaldo Cézar Coelho
Auxiliares – Arivaldo Magalhães e Paulo Celso Bandeira
Gol – Fito Neves, aos 24 do segundo tempo.
BAHIA – Luis Antonio, Toninho, Zé Augusto, Sapatão e Romero (Edmilson); Baiaco, Perez e Douglas; Botelho, Gilson Gênio (Fito) e Caio. Técnico – Zezé Moreira.

leia também
comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do ecbahia.com. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral, os bons costumes ou direitos de terceiros. O ecbahia.com poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.