é goleada tricolor na internet

veículo informativo independente sobre o esporte clube bahia

Notícia | Entrevista

Publicada em 25 de fevereiro de 2024 às 19h31

Ceni elogia empenho do time e critica gramado: ‘aqui é uma luta, não é jogo'

Treinador diz que campo do Adauto Moraes 'não oferece condições mímimas'

Victor de Freitas

ceni58
Fonte: Letícia Martins / EC Bahia

O Bahia visitou a Juazeirense e venceu por 2 a 1, de virada, neste domingo (25), atuando no já conhecido gramado do estádio Adauto Moraes.

Em entrevista após a partida, o treinador Rogério Ceni fez questão de enaltecer o empenho do time tricolor para virar a partida e sair com o triunfo. Por outro lado, ele afirma que não foi possível sequer avaliar a parte técnica em razão das condições do gramado.

“A gente jogou mais parecido com 2023 do que com 2024. Bolas longas, tentando aproveitar a segunda bola. Foi o que esse gramado, aquela parte verde do campo, permitiu. Não dá nem para fazer uma avaliação técnica do jogo, mas dá para elogiar a competitividade do time”.

Na opinião de Ceni, o campo do Adauto Moraes é pior do que o do estádio Albertão, em Teresina, onde o Tricolor perdeu para o River.

Um gramado até pior que aquele do Piauí. Não teve muita construção, troca de passes, era até um risco fazer isso”.

Ainda em suas duras críticas ao campo oferecido pela prefeitura de Juazeiro, Ceni afirma que só é possível ‘lutar’ no gramado e não jogar tecnicamente.

“Não tem campo, então não tem desempenho para analisar. Aqui é praticamente uma luta. Não é jogo técnico. Até para fazer uma palestra para o jogo você tem que simplificar muito. Esse campo não oferece as mínimas condições de jogo. Enquanto a gente jogar em um campo com esse cuidado, fica difícil fazer análise sobre as partidas. Para mim o destaque foi a competitividade”.

Lição tirada do jogo contra o River

Em função do gramado ruim, que já era esperado, Ceni confirmou que este foi o motivo que deixou Cauly e Everton Ribeiro como opções no banco de reservas.

“Rodar o elenco é a única maneira de se manter vivo quando você joga a cada 72h. Você tem que jogar, recuperar, e fazer com que o cara fique focado. Sem dúvida as derrotas fazem com que você aprenda mais, é doloroso, mas aprende mais. Hoje nosso time foi baseado na minutagem e no estilo do jogo. Cauly e Everton Ribeiro não iam fazer diferença. A gente queria um time mais de força. Dentro do que a gente viveu naquele jogo do Ríver, a gente tirou alguma lição para o jogo de hoje”.

O próximo jogo será contra o CRB, na quarta-feira (28), pelo Nordestão. A partida acontecerá em Maceió.

Quer receber notícias do Bahia no seu WhatsApp? Clique aqui e entre no nosso grupo exclusivo para notícias do Esquadrão!

leia também
comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do ecbahia.com. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral, os bons costumes ou direitos de terceiros. O ecbahia.com poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.



casas de apostas brasileiras