é goleada tricolor na internet
veículo informativo independente sobre o esporte clube bahia

STF julga permanência de Ednaldo como presidente da CBF nesta quarta

Notícia
Política
Publicada em 22 de maio de 2024 às 10:12 por Victor de Freitas
Corte vai julgar liminar concedida a favor do atual presidente da CBF; tendência é de que ele seja mantido no cargo
Foto: Divulgação / CBF

Ednaldo Rodrigues terá sua permanência como presidente da CBF novamente julgada pelo Superior Tribunal Federal (STF), nesta quarta-feira (22).

Segundo o colunista Lauro Jardim, do GLOBO, a tendência é de que a Corte não altere a liminar concedida pelo ministro Gilmar Mendes em janeiro, que reconduziu Ednaldo ao comando da CBF.

Dessa forma, o atual presidente da entidade que gere o futebol brasileiro ficaria até o fim do seu mandato – que vai até março de 2026.

Caso venha a ser derrotado neste julgamento, o dirigente terá de deixar o comando da Confederação Brasileira de Futebol, com uma comissão assumindo a presidência antes de uma nova eleição acontecer em 30 dias.

Já em entrevista site Lei em Campo, a advogada especialista em direito desportivo, Fernanda Soares, falou sobre a possibilidade de Ednaldo deixar a entidade novamente.

“Se o STF entender que (dentre outras questões) a pratica esportiva não pode ser considerada uma atividade exclusivamente privada, que o nosso ordenamento jurídico aponta para o fato de que a prática desportiva é de interesse social; e que se tem interesse social, a presença do Ministério Público é legítima… o Ednaldo Rodrigues permanece na presidência da CBF. Caso contrário, a decisão do TJ-RJ pode voltar a ter eficácia, o que significaria o afastamento do Ednaldo Rodrigues, interventor e novas eleições”.

Ednaldo Rodrigues CBF
Foto: Rodrigo Ferreira / CBF

O processo que julga o presidente da CBF

A liminar concedida por Gilmar Mendes em janeiro suspendeu uma decisão do TJ-RJ que havia retirado Ednaldo Rodrigues da presidência da entidade, sob alegação de que havia celebrado um acordo junto ao Ministério Público, quando era presidente interino sem que o MP tivesse legitimidade para isso.

Na ocasião, o Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro nomeou um interventor e ordenou que novas eleições fossem realizadas para a CBF, até que um processo para rever essa decisão foi aberto a pedido do PcdoB, alegando danos “irreparáveis à CBF”.

A justificativa foi de que a FIFA não reconhecia qualquer liderança na CBF, o que impedia a inscrição do Brasil na Olimpíada de 2024.

comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do ecbahia.com.
É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral, os bons costumes ou direitos de terceiros.
O ecbahia.com poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios
impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

enquete

Após mais de 50 jogos pelo Bahia, como você avalia o trabalho de Rogério Ceni?
todas as enquetes
casas de apostas brasileiras